26.1.16

[Resenha #780] O Sol Desvelado - Isaac Asimov @editoraaleph


O Sol Desvelado
Robôs # 2
Isaac Asimov
ISBN-13: 9788576571667
ISBN-10: 8576571668
Ano: 2014 
Páginas: 288
Editora: Aleph
Skoob
Classificação: 5 estrelas
Compre: Submarino


Após as reviravoltas de sua última missão, o detetive Elijah Baley é recrutado para investigar um caso de assassinato aparentemente insolúvel. Obrigado a enfrentar sua fobia de espaços, ele viaja até Solaria, um planeta Sideral de apenas 20 mil habitantes, mas onde cada ser humano dispõe de um contingente de 10 mil robôs positrônicos para lhe servir.



Depois de sua primeira aventura em As Cavernas de Aço (aqui), o investigador Elijah Baley retorna. Agora, ao invés de investigar algo em sua Cidade, ele é mandado para fora da Terra. Elijah vai à Solária, um planeta Sideral, um dos Mundos Exteriores.


“– Para fora da Cidade de Nova York?
– Para bem longe. ” Página 24

Depois de seu caso muito bem resolvido em As Cavernas de Aço, Elijah ficou bem conceituado com alguns Siderais e por isso foi solicitado por esses para resolver um caso fora da Terra.


Em O Sol Desvelado, Elijah vai ter que enfrentar seu medo de espaço aberto. A população terrestre está tão acostumada a viver em suas cavernas de aço, que não sabem mais sentir-se bem em um espaço mais arejado e vasto, onde podem a ver tantas cores e luz.


“Azul, verde, ar, barulho, movimento – e, acima de tudo, brilhando, com fúria e de forma implacável e assustadora, estava a luz branca que vinha de uma bola no céu [...] Ele olhou para o sol desvelado.” Página 51

Em Solaria ocorreu um assassinato. Algo bastante incomum para uma sociedade que vive isolada em sua própria propriedade, em uma distância considerável de qualquer outra propriedade. Cada Solarina tem seu próprio pedaço de terra e tudo do qual ela venha a precisar já está em sua casa. Não existe mercado, shopping, hospital, cinema, restaurante, etc. A casa supre todas as necessidades. Cada propriedade é gerenciada por robôs e esses trabalham de maneira a deixar tudo em ordem para seu mestre. As pessoas não se vêm, elas apenas se 'olham'. As visitas são feitas através hologramas. Não existe um contato direto, apenas entre um casal e ainda assim de forma bastante limitada, com horários marcados para os encontros. Fora isso, cada conjugue fica em sua parte destinada da casa. Então como um assassinato pode ter acontecido? E por que? Elijah terá que descobrir.


Essa é uma sociedade bastante peculiar. Asimov criou tudo isso de forma bastante interessante. Um exemplo é a criação de um personagem do livro, sociólogo o Anselmo Quemot. Ele cita a sociedade de Esparta, como sendo uma inspiração para a sociedade de Solaria, já que em Solaria existem apenas 20 mil humanos e em torno de 200 milhões de robôs. Curioso para saber mais essa semelhança? É isso que Asimov faz com os leitores.

Enquanto lia o livro, me sentia em um romance da Agatha Christie, mas voltado para o ramo da ficção-científica. A trama policial ficava cada vez mais interessante e instigante. Como investigar e descobrir o assassino com tão poucos recursos para isso?


Durante a leitura, tanto de As Cavernas de Aço quanto O Sol Desvelado, percebemos a evolução de Elijah. Quanto maior seu conhecimento sobre os Siderais aumentava, mais ideias revolucionárias foram incorporadas nele. Aqui pudemos ampliar nossa visão desse mundo futurístico. Muito mais informação foi adicionada sobre um dos planetas dos Mundos Exteriores, o planeta Solaria. E também a visão, mais ampla, que nosso detetive Elijah Bayle vai tendo sobre a Terra, sobre como a população vive de certa maneira como Solaria: enclausurada. Asimov mais uma vez nos trás um romance policial maravilhoso e intrigante.

Algo magnífico nos livros do Asimov é que várias coisas parecem ser acrescentadas aleatoriamente, mas de modo algum são coisas descartadas ou sem nexo. São partes e são retalhos que formam uma colcha complexa. E isso nos dá abertura para um próximo livro. o/


“Tinha de nascer. Ele tinha de sair do útero. E uma vez que o útero tivesse sido abandonado, não era possível entrar de novo. Bayle tinha saído da Cidade e não conseguia voltar a entrar.”

16 comentários

  1. Preciso começar a me aventurar nesse mundo de Asimov pois me parece totalmente delicioso!

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Gostei da resenha mas não fiquei com vontade de ler rs
    Não conheço o autor e nem os livros :/
    E gostei das capa!

    ResponderExcluir
  4. Ainda não li nenhum livro do autor, mas me parece um estória bem escrita!

    ResponderExcluir
  5. Isaac Asimov é um clássico escritor de ficção científica, chego a me envergonhar de nunca ter lido nada dele! hahaha O cara está na minha lista há muito tempo, e assim que puder lerei algo dele, e O Sol Desvelado está no topo das minhas opções.

    Abraços,
    Controle Literário

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. "Eu, Robô" é realmente um clássico, quase obrigatório do Asimov, obrigada pela dica! :)

      Excluir
    3. Oi!
      Antes de ler "O Sol Desvelado", leia o primeiro livro!
      Fiz resenha dele também:
      http://www.lostgirlygirl.com/2015/10/resenha-653-as-cavernas-de-aco-isaac.html
      Beijão!

      Excluir
  6. Adorei a resenha, ficção científica não é meu estilo de livro, porém, a tua resenha me instigou a pesquisar sobre o assunto. ;)

    ResponderExcluir
  7. Gostei muito da resenha, mas infelizmente o livro não me chamou a atenção! Gosto um pouco de ficção científica, mas desse jeito não! Mas, irei pensar mais sobre o assunto e quem sabe eu não me interesso?!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  8. Oi Crislane!

    Menina, Isaac Asimov é mito! Eu, Robô com certeza é um dos melhores livros já lançados, uma delícia de ler. Eu não sabia que esse livro fazia parte de uma série, teria que ler o primeiro pra saber se acompanharia ou não, a não ser que dê para ler os livros fora de ordem.

    Beijo!
    http://www.roendolivros.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ana Clara!
      É bom ler primeiro "As Cavernas de Aço". Apesar das histórias serem independentes, ainda assim são ligadas.
      Fiz resenha dele também.
      http://www.lostgirlygirl.com/2015/10/resenha-653-as-cavernas-de-aco-isaac.html
      Beijão!

      Excluir
  9. Não conhecia Crislane, me interessei. Vou acompanhar por resenhas, preciso terminar algumas séries para começar outras, se não, não dou conta.
    Gostei da parte da sociedade Esparta, deve ser bem interessante isso.

    ResponderExcluir
  10. Cris,

    Confesso que pela capa nunca leria este livro, mas a sua resenha me deixou louca de vontade de ler.

    Muito boa!!!

    ResponderExcluir
  11. Nunca li nenhum livro do Isaac Asimov.
    Porém, sempre tive vontade de ler.
    Esse livro parece interessante, gostei do tema.
    Beijosss!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Priscila!
      Leia algo dele sim. É muito bom!
      Beijão!

      Excluir

© BLOG ROTINA AGRIDOCE- TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | Design e Programação por MK DESIGNER E LAYOUTS