29.9.17

[Resenha #1300] Agora e na hora - Heloisa Seixas @cialetras


Agora e na hora
Heloisa Seixas
ISBN-13: 9788535928822
ISBN-10: 8535928820
Ano: 2017
Páginas: 144
Idioma: português 
Editora: Companhia das Letras
Classificação: 2 estrelas
Skoob
Sinopse: Um escritor fracassado decide fazer um livro de contos sobre a morte e, em seguida, se matar. Seria essa sua vingança contra aqueles que sempre o ignoraram: fazer da própria morte o ponto final do livro, tombando sem vida sobre os originais. Para ele, um desfecho insuperável, inédito na literatura. Seus planos, porém, caem por terra ao descobrir que tem um tumor e que seus dias estão contados. Não poderá mais ser o senhor da própria morte. Correndo contra o tempo, o autor, ao longo de uma madrugada, revê sua trajetória, misturando-a com seus contos terminais, na certeza de que, antes de o sol nascer, usará um revólver para se matar. No entanto, algo inesperado acontece, e ele perde o controle do livro - e da própria vida. Em Agora e na hora, Heloisa Seixas constrói um poderoso embate de vida e morte entre um escritor e seu personagem. Um trabalho original que é, sobretudo, uma celebração da literatura e do ofício de escritor.

Resenha:

Não se engane com a palavra “romance” escrita da capa do livro. Agora e na hora é um livro com uma temática não muito convencional, o que é interessante. 

Bem, de forma simples, esse é um livro dentro de um livro cuja proposta é “celebrar a literatura e o ofício de escritor”. Em Agora e na hora, o protagonista é um escritor em estado terminal que está disposto a ser o controlador do próprio destino. O livro inicia-se com a descoberta dos manuscritos desse escritor por uma amiga, que não sabe se vai publicá-los ou não. 




O livro é dividido em duas partes. A primeira, intitulada “Agora e na hora” trata-se de contos que estão relacionados de alguma forma com a morte. Já a segunda parte, intitulada “A quase morte” está centrada no protagonista da obra, em que somos apresentados à sua história e sua jornada como escritor. 
“Agora e na hora, a pena é minha. E quem tem o poder sobre a vida e a morte aqui sou eu.”
Confesso que o livro foi um pouco confuso para mim e nada do que eu imaginava. Talvez em uma futura releitura algumas coisas façam mais sentido. É um livro interessante para quem gosta de sair da zona de conforto, mas que provavelmente deve ser lido com calma e atenção para ser bem aproveitado. 
A Companhia das Letras fez um ótimo trabalho com a edição, deixando o livro bastante confortável de se ler. 



Nenhum comentário

Postar um comentário

© BLOG ROTINA AGRIDOCE- TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | Design e Programação por MK DESIGNER E LAYOUTS