16.6.18

[Resenha #1636] Sol Em Júpiter - Lola Salgado @harlequinbrasil


Sol Em Júpiter
Lola Salgado
ISBN-13: 9788595082298
ISBN-10: 8595082294
Ano: 2018
Páginas: 256
Idioma: Português
Editora: HarperCollins Brasil
Classificação: 5 estrelas
Skoob
Compre: Amazon
SINOPSE: Sol Leão é uma famosa youtuber de Florianópolis. Apaixonada pela sua “juba”, que dá nome ao canal, a jovem mostra ao mundo seu estilo e sua vida perfeita em vídeos divertidos e calorosos. No entanto, a vida real pode ser um pouco diferente disso, e um jovem com o estranho nome de Júpiter aparece para balançar o mundo de Sol e questionar as certezas que ela achava que tinha.



RESENHA: 

O livro Sol Em Júpiter, da autora Lola Salgado, conta a história da youtuber Sol Leão, uma escorpiana de Florianópolis. Por conta dos cachos volumosos, o seu canal de beleza e moda no YouTube se chama Delírios de Juba. Por lá, Sol posta vídeos de tudo um pouco, desde a make perfeita para sair com as amigas, até conversas pessoais sobre identidade. Todos eles recebem muitas curtidas, comentários e as views sempre ultrapassam um milhão de visualizações. Após cinco anos e seis milhões de inscritos, Sol está vivendo o sonho de muitas garotas. Além das viagens, dos presentes e do carinho do público, ela também está noiva de André, outro youtuber que está começando a ascender na plataforma. Fazia pouco mais de seis meses que os dois estavam namorando quando ele a pediu em casamento. Assim, Sol e André se tornaram o casal sensação da internet. 
“Se já está com problemas, faça valer a pena.” (pág. 8)
“A realidade nunca era tão glamorosa quanto aparentava ser nos vídeos.” (pág. 17)
“As coisas precisam ser feitas, repeti mentalmente. Esse era meu lema número um e sempre funcionava.” (pág. 18)
“Na internet, todo mundo quer ver a vida perfeita que adorariam ter para si. E não sou eu quem vai arruinar essa ilusão.” (pág. 20)
“Não me leve a mal, todo mundo precisa de uma mentirinha aqui ou ali. Faz parte da vida, não é?” (pág. 21)
“(...) se existe a mais remota possibilidade de uma coisa dar errado, ela dará errado. Inevitavelmente.” (pág. 21)
Só que a vida de Sol não é tão glamourosa como seus seguidores imaginam. Após uma adolescência muito solitária e aterrorizada pelo bullying na escola, grande parte de seus medos e inseguranças ainda caminha com ela. Sem contar que muitas de suas publicações nas redes sociais mostram uma vida diferente: despreocupada, saudável e incrível. Até mesmo os vídeos respondendo tags de casal são uma mentira, já que os dois vivem discutindo por conta da personalidade difícil de André. Mesmo assim, Sol não é inocente e entende que seus seguidores precisam ser abastecidos com o charme de sua rotina – mesmo que ele não exista.
“Tinha a sensação de que, a qualquer momento, a patrulha dos verdadeiros talentos existentes no mundo entraria pela porta, pronta para me algemar e me prender por enganar as pessoas. Todos descobririam a fraude que eu era.” (pág. 33)
“O sacrifício valia a pena. Tudo em nome de ter mais seguidores. Era sempre em nome de ter mais seguidores.” (pág. 38)
“Esse é o problema da insegurança: ela nos sabota.” (pág. 43)
“Todas as fotos que vinha postando ultimamente eram apenas simulações de dias que nunca vivi. Apenas uma fantasia.” (pág. 56)
“As pessoas têm sede por novidade, por mais conteúdo, por mais um pouco da vida perfeita que adoram acompanhar.” (pág. 56)
“(...) a gente precisa aproveitar as coisas pequenas. Elas são valiosas. A vida não tem que ser sempre dura.” (pág. 77)
Sua vida agitada encontra a tranquilidade de Júpiter. Apesar de um primeiro encontro incomum, ele balança as estruturas de Sol. Facilmente lembrado pelo nome diferente, Júpiter é divertido, tem um papo interessante, um sorriso com covinhas muito fofo e um piercing na língua que o torna ainda mais atraente. De pouquinho em pouquinho, ele revela as dificuldades que também encontrou na própria adolescência. Dessa forma, Sol e Júpiter vão se conhecendo. Mas essa proximidade esbarra no olhar ciumento de André e no que os seguidores de Sol poderiam pensar. 
“É nos momentos em que desligamos nosso cérebro que as coisas mais sinceras vêm à tona.” (pág. 87)
“Eu sentia como se fosse uma panela de pressão e o André, uma tampa comum, que servia mais ou menos para o propósito, mas jamais seria como a tampa com válvula. Jamais seria como Júpiter. Porque, por Deus, ele tinha o tamanho perfeito para mim.” (pág. 137)
“Pensando bem, acho que estava na hora de mudar o meu terceiro lema para: se existe a mais remota possibilidade de a vida te surpreender, ela o fará. Inevitavelmente.” (pág. 167)
“Não queria ser apenas mais um número. Não queria fingir mais nada. Não queria ser ninguém além de mim mesma.” (pág. 197)
“Às vezes, o que mais precisamos é passar um tempo na nossa própria companhia. Não existe outra forma de se encontrar, no final das contas.” (pág. 198)
O livro intercala a narração em primeira pessoa de Sol e Júpiter. Achei essa escolha incrível, já que os personagens são bem construídos e muito interessantes. Sol é a alma da história, tem uma personalidade marcante e um jeito único de viver a vida. Descrito por ela, Júpiter aparenta ser uma pessoa de bem com o mundo, só que a narração de seu ponto de vista revela o quanto ele já sofreu e as decisões difíceis que precisou tomar. A gente logo de cara gosta dele, e não fiquei mal em desejar que os dois acabassem juntos mesmo com Sol estando noiva. Isso acontece porque, enquanto Júpiter é um amor e trata Sol com respeito, André dá indícios desde o começo de ser um péssimo companheiro: ele não liga para o que Sol faz, a interrompe como se sempre tivesse algo melhor para falar, não gosta de ser contrariado e é muito ciumento.  

A escrita da autora é leve, jovem e muito divertida. Ela traz muitas referências culturais, principalmente com relação a filmes. Por exemplo, Sol é apaixonada por Meninas Malvadas (2004), por isso temos uma citação da personalidade de Regina George (Rachel McAdams) e da famosa frase “às quartas, usamos rosa”. A autora também menciona os Stories, um recurso do Instagram, e as mensagens de texto do WhatsApp. Inclusive, ela faz as transcrições de alguns vídeos do canal da Sol, e também temos o que seria o layout dele (logo, views, curtidas e os comentários em destaque). Aqui, temos que parabenizar a editora por um trabalho muito bem feito de diagramação. 

Não posso deixar de falar que consegui pescar algumas críticas ao mundo virtual. Além da Sol viver claramente duas realidades, percebemos até que ponto as pessoas mentem para satisfazer a curiosidade de internautas. No caso de André e Sol, é engraçado observar como o relacionamento deles se deteriorava na vida real, mas nos vídeos que eles faziam juntos para o Youtube tudo parecia estar certo. Também temos muitas menções aos famosos haters e como seus comentários negativos, que são distribuídos gratuitamente, afetam o emocional das pessoas. Ainda nesse tópico, alguns desses comentários são machistas e propagados por homens. Tudo isso pode ser encontrado durante a leitura, o que foi uma grata surpresa. 

Uma história moderna repleta de referências culturais e redes sociais. Recomendo Sol Em Júpiter para todos os leitores que estão em busca de uma leitura rápida, agradável e engraçada. Tenho certeza que você vai gostar de conhecer a personalidade escorpiana de Sol e as batalhas que ela enfrentou durante a vida. Quem dera o canal Delírios de Juba realmente existisse. Tenho certeza que ele receberia muitos inscritos. 



Nenhum comentário

Postar um comentário

© BLOG ROTINA AGRIDOCE- TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | Design e Programação por MK DESIGNER E LAYOUTS