11.11.18

[Resenha #1657] Kindred: Laços de Sangue - Octavia E. Butler @edmorrobranco


Kindred: Laços de Sangue
Octavia E. Butler
ISBN-13: 9788592795191
ISBN-10: 8592795192
Ano: 2017
Páginas: 432
Idioma: português 
Editora: Morro Branco
Classificação: 5 estrelas
Skoob
Compre: Amazon
Sinopse: Em seu vigésimo sexto aniversário, Dana e seu marido estão de mudança para um novo apartamento. Em meio a pilhas de livros e caixas abertas, ela começa a se sentir tonta e cai de joelhos, nauseada. Então, o mundo se despedaça.Dana repentinamente se encontra à beira de uma floresta, próxima a um rio. Uma criança está se afogando e ela corre para salvá-la. Mas, assim que arrasta o menino para fora da água, vê-se diante do cano de uma antiga espingarda. Em um piscar de olhos, ela está de volta a seu novo apartamento, completamente encharcada. É a experiência mais aterrorizante de sua vida... até acontecer de novo. E de novo. Quanto mais tempo passa no século XIX, numa Maryland pré-Guerra Civil – um lugar perigoso para uma mulher negra –, mais consciente Dana fica de que sua vida pode acabar antes mesmo de ter começado.



Resenha:

Nossa protagonista é Dana, uma jovem negra que em seu aniversário de 26 anos em 1976, está em um novo apartamento com seu marido, e enquanto conversava com ele, Dana começa a se sentir tonta e é transportada de maneira inexplicável para o estado de Maryland no ano de 1815, no período da escravidão. Lá ela conhece Rufus Weylin, um ancestral dela, o filho de um proprietário de terras. 




Os primeiros encontros entre Dana e Rufus em sua infância são breves, mas é com sua chegada à idade adulta, que as visitas ficam mais prolongadas. Dana é tipo uma salva-vidas que vem em seu auxílio quando está em perigo e cuida dele até sua recuperação. Sua ligação com Rufus desde a infância a levou a criar sentimentos de proteção e também ela tem esperança de que ela será capaz de mudá-lo, que ele finalmente honrará sua palavra, que ele irá recuperar algo da criança que conheceu. Uma memória que transcende qualquer dúvida e os fatos exibidos diante dela.

A autora não complica a vida em nenhum momento à procura de explicações científicas e se concentra nos personagens e nos mostra com grande realismo a vida que os escravos tiveram naquele tempo terrível. Nesse sentido, é interessante a relação contraditória entre os escravos com seus senhores, algo que Butler sabe traduzir bem no romance e no qual o elo complexo estabelecida entre Dana e Rufus, seu antepassado, serve como um espelho para poder refletir esses sentimentos conflitantes.

No romance há uma mensagem feminista clara. A admirável Dana tem uma luta contra os donos da fazenda, pois ela é mulher e negra. Apesar de ser uma mulher, punições severas e agressões não conhecem barreiras e são distribuídas com violência semelhante entre homens e mulheres. Ela, apesar de conhecer a história e saber que ainda há tempo para a Guerra Civil chegar, não desiste. Ela não pode se esquivar da história, mas sua vida é cheia de pequenas batalhas.


A editora Morro Branco fez um trabalho fenomenal nessa edição que está lindíssima, capa dura, folhas de qualidade, tradução perfeita, assim como a revisão e a diagramação. 

Este é um romance intenso, por vezes duro, emocional, contado com simplicidade e convicção e que mesmo pertencendo ao gênero da ficção científica a autora usa a viagem no tempo para confrontar uma pessoa do presente com o que é a escravidão, e em nenhum momento ela se afasta de seu propósito. Aqueles que esperam uma história cheia de inventividade e complexos e engenhosos paradoxos temporais ficarão desapontados, porque o que se vai encontrar é uma história principalmente humana. Um clássico de 1979 até agora esquecido, que não deverá mais passar despercebido. Todos devem ler, recomendo!

Nenhum comentário

Postar um comentário

© BLOG ROTINA AGRIDOCE- TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | Design e Programação por MK DESIGNER E LAYOUTS